Legionella
Plano de prevenção e controlo

Prevenção e Controlo da Legionella

Serviços

A Redecor dispõe de serviços de prevenção, deteção e controlo da proliferação da bactéria da legionella, nomeadamente:

plano

Plano de prevenção e controlo de acordo com a legislação

analises

Análises de controlo analítico da água por laboratórios acreditados

agua

Sistemas de tratamento de água

desinfetante

Higienização e desinfeção de estruturas e equipamentos contaminados

filtro

Fornecimento e instalação de filtros de água anti Legionella

formação

Formação sobre medidas a adotar para cumprimento da legislação em vigor

filtro

Consultoria e apoio na prevenção da bactéria da Legionella

A quem se destina?

A todos os setores de atividade com maior preponderância em hospitais, clínicas e lares, indústria, estabelecimentos lúdicos, turísticos e desportivos como hotéis, ginásios e spas, entre outros.

  1. Desde que detenham os seguintes equipamentos de transferência de calor associados a sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado ou a unidades de tratamento do ar, desde que possam gerar aerossóis de água:
    1. Torres de arrefecimento;
    2. Condensadores evaporativos;
    3. Sistemas de arrefecimento de água de processo industrial;
    4. Sistemas de arrefecimento de cogeração;
    5. Humidificadores.
  2. A sistemas inseridos em espaços de acesso e utilização pública que utilizem água para fins terapêuticos ou recreativos e que possam gerar aerossóis de água
  3. A redes prediais de água, designadamente água quente sanitária
  4. A sistemas de rega ou de arrefecimento por aspersão, fontes ornamentais ou outros geradores de aerossóis de água com temperatura entre 20°C e 45°C.

Este serviço de Prevenção e Tratamento da Legionella, de acordo com a Lei n.º 52/2018, inclui a elaboração do plano de prevenção e controlo da Legionella que integra:

  1. A Avaliação de risco da instalação que deve depender dos seguintes fatores:
    1. Tipologia, dimensão e antiguidade dos equipamentos, redes e sistemas;
    2. Disposição física e interação com o meio circundante;
    3. Natureza da atividade desenvolvida e grau de utilização dos espaços;
    4. Regime de funcionamento dos equipamentos, designadamente contínuo, sazonal ou esporádico;
    5. Suscetibilidade da população utilizadora, designadamente faixa etária, estado de saúde e género.
  2. Um cadastro completo e atualizado dos equipamentos, redes ou sistemas, incluindo peças desenhadas e memórias descritivas;
  3. A identificação das competências e responsabilidades dos profissionais envolvidos;
  1. A identificação de pontos críticos de proliferação e disseminação de Legionella;
  2. Um programa de manutenção e verificação de sinais de corrosão e contaminação dos equipamentos, redes ou sistemas;
  3. Um programa de revisão, limpeza e desinfeção dos equipamentos, redes ou sistemas que inclua a definição de produtos, respetivas dosagens e fichas de dados de segurança, procedimentos e periodicidade;
  4. Um programa de monitorização e tratamento, preventivo ou corretivo, da água, que inclua a definição dos parâmetros a analisar, dos pontos e procedimentos para recolha de amostras, dos produtos, doses, fichas de dados de segurança, procedimentos de tratamento e frequência de amostragem e análise;
  5. Um programa de vigilância da saúde dos trabalhadores com risco de exposição profissional a Legionella;
  6. Um sistema de registo de todas as atividades e ocorrências, medidas de controlo adotadas e resultados obtidos nas análises efetuadas

O que é a legionella?

A bactéria Legionella é um microrganismo omnipresente no meio aquático e, de acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS), pode existir em reservatórios naturais, rios e lagos e, também, em reservatórios artificiais como sistemas de água doméstica (quente e fria), humidificadores, torres de arrefecimento de sistemas de condicionamento de ar, jacuzzis, piscinas, instalações termais, águas sujas paradas e fontes decorativas, locais onde se produzam aerossóis com facilidade.

O contágio da legionella

Quando a temperatura da água está entre os 20 e 45°C e existem depósitos como ferrugem, lodo ou matéria orgânica nos ambientes atrás referidos existe um meio favorável ao crescimento bacteriano potenciando a multiplicação rápida da bactéria Legionella, nomeadamente no chamado “Biofilme”. A Legionella pode causar doença quando uma pessoa inala ou aspira gotículas de água suspensas no ar que contenham Legionella em quantidade suficiente e com características de virulência. A maioria dos casos de doença é provocado pela Legionella pneumophila. É de salientar que a infeção por Legionella não é transmitida através da ingestão de água contaminada.

Legislação sobre legionella

A Lei n.º 52/2018 estabelece o regime de prevenção e controlo da doença dos legionários (legionella) e procede à quinta alteração ao Decreto-Lei n.º 118/2013, de 20 de agosto. A presente lei estabelece o regime de prevenção e controlo da doença dos legionários (legionella), definindo procedimentos relativos à utilização e à manutenção de redes, sistemas e equipamentos propícios à proliferação e disseminação da Legionella e estipula as bases e condições para a criação de uma estratégia de prevenção primária e controlo da bactéria Legionella em todos os edifícios e estabelecimentos de acesso ao público, independentemente de terem natureza pública ou privada.

www.000webhost.com